Vem aí: Mostra de Teatro Musical Autoral “Arte É Progresso”

Mostra irá reunir quatro espetáculos musicais autorais brasileiros escritos pelo dramaturgo Vítor Rocha

Foto: Victor Miranda


Após temporadas de estreia e os desdobramentos que cada projeto teve, como as montagens internacionais de “Cargas D’Água”, o filme de “O Mágico Di Ó” e a versão para o streaming de “Bom Dia Sem Companhia”, essa será a primeira vez onde todos os espetáculos estarão em cartaz simultaneamente, durante um mês e no mesmo teatro.

Reunindo mais de 50 artistas nacionais, a ideia da mostra, produzida por Luiza Porto e Vítor Rocha através da Encanto Artístico e da Enxame Produções Culturais, é justamente ocupar os palcos - depois de muito tempo fora deles - com histórias brasileiras e destacar a importância de se produzir espetáculos autorais, que falem para e sobre o nosso povo.

Fotos dos espetáculos


O “passaporte” – ingresso especial que dará direito a entrada em uma apresentação de cada espetáculo – será vendido presencialmente nos dias 27 e 28 de novembro, na bilheteria do Teatro Viradalata, em São Paulo, onde a mostra estará em cartaz. A iniciativa também é uma forma de impulsionar a retomada do público às plateias.

Sobre Vitor Rocha:

Ator, produtor, diretor e roteirista. Eleito pela Forbes um Under 30, entre os 90 jovens mais promissores e bem sucedidos do país em 2019. Escreveu, atuou e dirigiu “Cargas D'Água - Um Musical de Bolso” que lhe rendeu diversas indicações a prêmios de teatro (além de ter sido montado em Londres no Off-West End e Nova York na Off-Off-Broadway) e também o consagrou como o primeiro autor a receber um Prêmio Bibi Ferreira, na categoria revelação. Em 2019, atuou no seu segundo musical, também de sua autoria: “Se Essa Lua Fosse Minha”, que recebeu quatro indicações ao Prêmio Bibi Ferreira, incluindo melhor musical brasileiro e melhor letra e música (categoria na qual foi vencedor ao lado de Elton Towersey). No mesmo ano em “O Mágico Di Ó - Um Clássico em Forma de Cordel”, assinou a autoria do texto, das letras e foi responsável por interpretar o personagem Osvaldo. Sendo este seu trabalho mais recente, sua indicação ao Prêmio Aplauso Brasil de melhor espetáculo infanto-juvenil completa a lista das 18 indicações e 4 prêmios de teatro pelos seus 3 primeiros trabalhos. Criador dos projetos sociais “Casusbelli" e “Pardalzinho” e fundador da Academia Jacutinguense de Letras, estreou seu último trabalho autoral “Bom Dia Sem Companhia” em setembro 2021 e faz sua estreia no cinema nacional como ator e roteirista em 2022, no filme “O Mágico Di Ó”, produzido e dirigido por Pedro Vasconcelos e em breve nos cinemas.