Projeto Trem Selvagem reúne dois solos de Denise Dietrich e Bruna da Matta no Teatro de Contêiner

"Aquele Trem" é dirigido por Erica Montanheiro e "Selvageria: O Nascimento do Outro" por Maria Giulia Pinheiro

Foto: Marcelle Cerutti


As experiências pessoais das atrizes Denise Dietrich e Bruna da Matta resultaram nos solos Aquele Trem, protagonizado pela primeira e dirigido por Erica Montanheiro, e Selvageria: O Nascimento do Outro, estrelado pela segunda e dirigido por Maria Giulia Pinheiro.


Em cena, a partir de seus diferentes olhares e vivências, as atrizes-criadoras discutem vários temas relacionados ao sentimento de abandono, exaustão, desejo de liberdade e medo. Elas investigam questões como o que se espera de uma menina e o que se exige de uma mãe. E o resgate de suas memórias vai reconstruindo o caminho até as mulheres que são hoje.


A proliferação dos solos femininos


Após a temporada de Trem Selvagem, o Teatro de Contêiner abre uma mostra apenas com solos femininos. “Existe uma proliferação de solos femininos porque as mulheres estão precisando contar as suas narrativas, mas não é só isso”, afirma a diretora Erica Montanheiro.


A produção de Trem Selvagem levantou o projeto com 10 mil reais, retirados de reserva pessoal da atriz Denise Dietrich. As atrizes, diretoras e preparadoras corporais não estão ganhando nada pela montagem, com a esperança de que as pessoas assistam e os espetáculos tenham uma longa trajetória.


Foto: Divulgação


A diretora de movimento Bruna Longo diz: “não há nada de romântico nisso. Não achamos bonito e não gostaríamos de estar fazendo desta forma - somente fazemos porque não temos outra opção”. As criadoras inscreveram o projeto no Proac, mas não foi contemplado.


Em 2019, Erica Montanheiro e seu parceiro artístico Eric Lenate ganharam um edital do Prêmio Zé Renato para fazer o bem-sucedido projeto “Balada dos Enclausurados”, que era composto por dois solos: um da Montanheiro e outro do Lenate. “Eu só consegui ser aprovada no Prêmio depois de atrelar o meu nome ao do Lenate. Inscrevi o meu solo em diversos editais anteriormente, mas só peguei quando reformei o projeto e o chamei para se juntar a mim”, diz Erica, que ganhou o edital de 250 mil reais na ocasião.


Aquele Trem


Foto: Marcelle Cerutti


No solo autoficcional Aquele Trem, Denise Dietrich buscou as lembranças da sua criação, os abusos e a alienação parental. Assuntos quase não falados numa época quando os castigos físicos se justificavam no discurso social e religioso como formas de amor. Como esses traumas nos transformaram em quem somos hoje? O que fazemos com o que fizeram de nós? São questões que permeiam o espetáculo.


Ficha Técnica

Texto e atuação: Denise Dietrich

Direção: Erica Montanheiro

Direção de Movimento: Bruna Longo

Luz: Gabriele Souza

Operação de Luz: Luciana Silva

Cenografia e Arte: Kleber Montanheiro

Videoarte: Julia Rufino

Trilha: Erica Montanheiro

Fotos: Marcelle Cerutti

Assessoria de Imprensa: Pombo Correio



Selvageria – O Nascimento do Outro


Foto: divulgação


Doença, acidente, violência: a maternidade inaugura a percepção do mundo como um lugar inóspito, e aguça os sentidos para identificar quem é "dos meus" e quem é "o Outro". A partir da autoficção, Bruna da Matta relaciona sua experiência com a maternidade e o desmascaramento de nossa cultura colonial.


Ficha técnica:

Dramaturgia, concepção, atuação e produção: Bruna da Matta

Direção geral e dramaturgismo: Maria Giulia Pinheiro

Direção de cena: Dandara Azevedo

Preparação de corpo e voz: Natália Nery e Dandara Azevedo

Figurino: Éder Lopes

Iluminação: Luciana Silva

Sonoplastia: Jo Coutinho

Operação de luz: Decoff

Videomapping: Vic Von Poser

Assis. de produção: Helena Fraga

Fotos: Marcelle Cerutti

Arte: Vic Moliterno


TREM SELVAGEM

Temporada: 18 de Junho a 04 de Julho

Horário: Sábado a Segunda, às 19h (Aquele Trem) e às 20h30 (Selvageria)

Local: Rua dos Gusmões, 43, Luz

Ingressos para os dois solos: R$ 40,00 (inteira) | R$ 20,00 (meia-entrada) | Compre aqui