"Posição Amorosa", de Wellington Duarte, é inspirada na obra do artista visual Hudinilson Jr.

A obra coreográfica transita nas linguagens da dança, performance, do teatro, da música, literatura e do cinema

Foto - Keiny Andrade


O Núcleo EntreTanto, do coreógrafo Wellington Duarte, debruçou-se em 2021 na pesquisa sobre as distâncias que separam um corpo do outro, um conceito desenvolvido pelo reconhecido artista visual Hudinilson Jr (1957 - 2013). Interessou ao grupo observar o espaço existente entre o amor e o sexo, entre o encontro e o contato. Desse estudo nasceu o trabalho coreográfico Posição Amorosa, peça que reforça a ideia da existência de posicionamentos amorosos, políticos, afetivos e sexuais. Na obra, que tem um caráter de manifesto, o músico e performer Daniel Fagus Kairoz divide o palco com Wellington.


Posição Amorosa estreia no CRD - Centro de Referência da Dança. Na sequência o espetáculo faz sessões na Oficina Cultural Oswald de Andrade. Todas as apresentações são gratuitas e podem ser assistidas tanto presencialmente nos locais, quanto no formato digital pelos canais de cada um dos espaços.


Foto: Keiny Andrade


Com idealização, concepção e direção geral de Duarte, a obra tem dramaturgia e direção cênica assinada por Donizeti Mazonas e textos musicados a partir das obras Infértil, de Rudinei Borges dos Santos e O Inominável, de Samuel Beckett. Com composições, arranjos e direção musical de Rui Barossi, a performance evoca as linguagens da música, teatro e literatura, nas quais Duarte já transitou em sua carreira e que dialogam com a estética proposta também por Hudinilson Jr.


Posição Amorosa avança a pesquisa de Wellington Duarte em relação às situações de atritos, que o artista conceitua como situações que buscam instaurar um caráter insurgente no corpo, numa evocação direta a ele e suas capacidades e potências. "Se existe uma conexão entre arte e política, ela deve ser colocada em termos de dissenso, no sentido de que dissenso produz ruptura de hábitos e comportamentos. Virar do avesso, sacudir o consenso empoeirado, encontrar as contra-potências, os contragolpes, novas desordens que a suposta ordem totalitária encobre", diz Duarte.


Segundo o dramaturgo e diretor cênico Donizeti Mazonas, Posição Amorosa é uma continuidade direta dessa pesquisa de Duarte. "Essas situações que têm relação direta com a questão do corpo e da política, da arte e da política são um pensamento serial - cada trabalho é uma variação do outro, cada trabalho aprofunda as questões do anterior. É um percurso de exploração e de proximidade de pensamentos", reforça.


A obra tem um aspecto de manifesto, o que a torna apta a acolher várias linguagens artísticas, ainda que a sua base seja a dança, linha de força do corpo que o artista exercita há mais de trinta anos. "Posição Amorosa tem um caráter discursivo e esse é um momento que pede posicionamento em todos os sentidos, já que estamos vivendo um avanço de conservadorismo assustador e tenebroso no país", diz Duarte. A investigação do coreógrafo de um pensamento disjuntivo de corpo e sua conexão entre arte e política, bem como suas inquietações como artista gay, somam força ao ativismo presente na obra visual de Hudinilson Jr.


Fotos: Keiny Andrade


Duarte reforça que as cores, o cenário e a luz da cena remetem ao contexto gay underground dos anos 1980, com ambientações que lembram banheiros públicos, boates e cinemas. "Hudinilson Jr. sempre transgrediu padrões sociais considerados normais, criando uma obra que busca extravasar a criação, o desejo e o direito à sexualidade plena", complementa o artista. Outros dois artistas que também se tornaram referências marcantes para a criação são Pedro Lemebel, escritor, ensaísta, performer e ativista gay chileno, com o seu manifesto Falo pela minha diferença, e o cineasta e roteirista britânico gay Derek Jarman, cuja filmografia serviu de referência para o registro audiovisual.


FICHA TÉCNICA

Idealização, Concepção e Direção Geral: Wellington Duarte

Direção Cênica e Dramaturgia: Donizeti Mazonas

Assistente de Direção: Rafael Costa

Performers: Wellington Duarte e Daniel Fagus Kairoz

Textos: Poemas de Rudinei Borges dos Santos, fragmento do livro O Inominável, de Samuel Beckett e o poema Luto, de Josué Nivaldo

Música – Composição, Arranjos e Direção Musical: Rui Barossi

Guitarrista: Daniel Fagus Kairoz

Técnico de Som: Pedro Canales

Iluminação: Wagner Antonio

Iluminador Assistente: Robson Lima

Técnico de Iluminação: Matheus Silva Espessoto

Direção de Fotografia e Operação de Câmera: Marcos Yoshi e Yghor Boy

Edição: Yghor Boy

Cenografia e Figurinos: Eliseu Weide

Painel Grafite - Arte: Alcântara Puo e Luh Araújo

Assistente de cenografia: Franklin Almeida

Mídias Sociais: Maju Tóffuli

Designer Gráfico: Rafael Markhez

Fotos: Keiny Andrade

Produção: Jota Rafaelli - MoviCena Produções

Assistente de Produção: Luciana Venâncio

Realização: Núcleo EntreTanto, da Cooperativa Paulista de Teatro

POSIÇÃO AMOROSA

Duração: 50 minutos

Recomendação: 14 anos

Apresentações gratuitas

Retirada de ingresso 1 hora antes


CRD - Centro de Referência da Dança

Temporada: Dias 06, 07, 08 e 09 de Dezembro

Horário: Segunda a Quinta-feira, às 19h

Local: Galeria Formosa - Baixo do Viaduto do Chá - s/nº - Praça Ramos de Azevedo

Transmissão também pelo Youtube do Centro de Referência da Dança no mesmo horário


Oficina Cultural Oswald de Andrade

Temporada: Dias 13, 14, 15, 16, 17 e 18 de Dezembro

Horário: Segunda a Sexta às 20h | Sábado às 18h

Local: Rua Três Rios, 363 - Bom Retiro

Transmissão também pelo Youtube das Oficinas Culturais no mesmos horários