Musical "Dom Quixote de La Sampa e a Máquina do Tempo" estreia no Teatro Arthur de Azevedo

Peça transporta personagem clássico de Miguel de Cervantes para São Paulo e lança olhar crítico para nossos ‘heróis nacionais’.

Foto: Divulgação


A Dona Mirna Cia. de Arte explora o famoso personagem clássico do escritor espanhol Miguel de Cervantes (1557-1616) no espetáculo musical infantojuvenil Dom Quixote de La Sampa e a Máquina do Tempo, que tem uma temporada de circulação gratuita por teatros e outros equipamentos culturais municipais.


O musical transporta as aventuras do famoso cavaleiro da triste figura para um espaço lúdico paulistano, estabelecendo uma relação de contraste e crítica entre a São Paulo do século 21 e uma visão romântica sobre as realizações dos Bandeirantes, construída pelos livros didáticos e outras obras que costumavam exaltar essas figuras como heróis nacionais.


Foto: Divulgação


Na trama, Dom Quixote de La Sampa é um valente senhor desmiolado e, junto de sua fiel escudeira, uma jovem em situação de rua chamada Sancha Trampa, anda pela cidade de São Paulo procurando grandes aventuras. Porém, depois de ler inúmeros livros de cavalaria, o homem já não consegue diferenciar realidade e fantasia, enxergando monstros em máquinas, ogros em escavadeiras e até feiticeiros em pessoas comuns.


Diante de uma grande injustiça contra a preservação da natureza em SP, o velho senhor constrói uma máquina do tempo e parte em uma missão heroica com a proposta de acabar com um terrível feitiço chamado urbanização.


Essa dupla atrapalhada visita momentos marcantes para a história de São Paulo, como a fundação da cidade por meio do Colégio Jesuíta instituído no alto da Colina de Piratininga; a inauguração da primeira ferrovia em terras paulistas; a contraditória Guerra dos Emboabas e o grito de Independência do Brasil às margens do Ipiranga.


A ideia da montagem é problematizar, de forma divertida e leve, a construção de símbolos e arquétipos heroicos na cultura popular.


Foto: Divulgação


“Esses símbolos moldam e ajudam a formar as nossas maneiras de pensar e agir, mas muitas vezes criam a sensação de que essas figuras eram seres intangíveis e não suscetíveis ao erro. Partindo desse pensamento, Dom Quixote de La Sampa é construído como a representação de um homem preso à uma idealização de mundo, de conceitos morais polarizados e um referencial heroico contraditório. Tudo isso será confrontado pela realidade de uma cidade tomada pelo imediatismo, urbanização extrema e descaso ambiental”, explica a companhia.


FICHA TÉCNICA

Diretora: Mayla Fernandes

Texto e letras: Yuri Garcia

Assist. de Direção: Carol Honorato

Diretor Musical: Ivan Santos

Arranjos musicais: Joab Souza, Ivan Santos, Samuel Moraes e Yuri Garcia

Cenógrafo: Djalma Junior

Figurinista: Luiz Fernando Oglou

Visagista: Gabriel Daves

Elenco: Carol Honorato, Clau Ålvěs̈, Gabriel Daves, Luiz Fernando Oglou, Samuel Moraes, Waltinho Ribeiro e Yuri Garcia

Músicos: Joab Souza e Ivan Santos

Preparadora Vocal: Luma Garcia

Operador de Luz: Bruno Emanuel


DOM QUIXOTE DE LA SAMPA E A MÁQUINA DO TEMPO

Temporada: De 07 a 29 de Maio

Ingressos: Gratuito | Distribuídos uma hora antes de cada sessão

Classificação: Livre

Duração: 90 minutos


Locais:


Teatro Arthur de Azevedo

Avenida Paes Barros, 995, Alto da Mooca

Apresentações: 07 e 08 de Maio, às 16h


Centro Cultural Tendal da Lapa

Rua Guaicurus, 1.100, Lapa

Apresentação: 14 de Maio, às 15h


Teatro Municipal de Caieiras

Avenida Marcelino Bressiani, 178, V. Gertrudes

Apresentação: 15 de Maio, às 15h


CEU Jaçanã

Rua Francisca Espósito Tonetti, 105, Jardim Guarapira

Apresentações: 21 de Maio, às 17h e 22 de Maio, às 14h


CEU Inácio Monteiro

Rua Barão Barroso do Amazonas, s / n – Guaianases

Apresentação: 28 de Maio, às 17h


CEU Pera Marmelo

Rua Pera Marmelo, 226, Jaguará

Apresentação: 29 de Maio, às 15h