Inscrições abertas para a oficina "Linguagens da Travessia", com Ronaldo Serruya

Workshop acontece em março


A proposta da Oficina “Linguagens da travessia: um olhar sobre as dramaturgias dissidentes” é refletir, mapear e dissecar as questões e as categorias que friccionamos quando pretendemos criar obras que tematizam corporalidades que escapam. Como construir uma linguagem outra, descomprometida com a ideia de cânone, e atravessada por vivências que tematizam as forças que se precipitam para fora e além do ideal normativo? Como escrever a partir das quebras de contrato? Como pensar e desenvolver o ato da escrita como ato de desobediência criativa?


Em 04 encontros teóricos/práticos, iremos pensar modos de produção e elaboração de discursos que se insinuam a partir das bordas e através delas, tendo como ponto de partida conceitos e reflexões produzidas por autores que tem pensado modos de escape da política de interdição dos corpos engendrada pela estrutura hegemônica.


Fazem parte das discussões dos encontros autores como Paul B. Preciado, Audre Lorde, Judith Butler, Patricia Hill Colins, Jota Mombaça, Gloria Anzaldua, Linda Alcoff, Grada Kilomba, Jack Halbstram, entre outros. Através de algumas provocações sobre estruturas, recortes temáticos e processos autobiográficos, a oficina se destina a todas as pessoas interessadas em processos de escritas contemporâneas, não canônicas, inclassificáveis ou que também estejam desenvolvendo produções dramatúrgicas em torno desse espectro, a partir da ficionalizações de si e dos atravessamentos que historicamente foram apartados do centro da cena.


Ao longo da oficina, exercícios de escrita serão propostos para os participantes, que podem também trabalhar a partir de materiais dramatúrgicos que já estejam experimentando e/ou em fase de produção.


Sobre Ronaldo Serruya

É ator e dramaturgo de u dos mais importantes grupos de teatro do país, o Grupo XIX de teatro (SP), premiado no Brasil e no exterior. Em 2009 fundou o Teatro Kunyn, coletivo que pesquisa a questão queer nas artes cênicas. Pelo texto Desmesura ganhou o prêmio Suzy Capó no 25º Festival MIX da Diversidade. Desenvolve também o projeto Como eliminar monstros: discursos artísticos sobre HIV/Aids, projeto que analisa uma história social da doença e reflete sobre os estigmas que rondam corpos positivos através da friccção entre Arte x HIV. Seu texto A Doença do Outro, ganhador do 7º Edital de Dramaturgia em pequenos formatos do CCSP (SP) é um monólogo sobre sua experiência vivendo com HIV.


"Linguagens da Travessia - Um Olhar Sobre as Dramaturgias Dissidentes"


Quando: Dias 10, 17, 24 e 31 de março

Horário: Quintas, das 19h às 21h30

Local: Rua Dr Cesário Mota Junior, 277 - Vila Buarque

Investimento: R$ 250,00

Inscrições: pelo email espacogarganta@gmail.com