Espetáculo "Pele Negra, Máscaras Brancas" faz temporada virtual

Dirigido por Onisajé, primeira mulher negra a dirigir uma montagem da Cia De Teatro da UFBA.

Foto: Adeloyá Magnoni


Assistido por mais de 25 mil pessoas, na presença e através dos suportes virtuais, entre 2019 e 2020, o espetáculo "Pele Negra, Máscaras Brancas" faz sua primeira temporada virtual, envolvendo a exibição do registro audiovisual da obra seguida por um bate-papo com especialistas - Cassia Maciel, Denise Carrascosa, Ana Flávia Magalhães, entre outros -, no intuito de se discutir questões negro-referenciadas e os impactos do racismo sob a ótica de Frantz Fanon.

Para assistir a montagem, que tem dramaturgia de Aldri Anunciação e direção de Onisajé (Fernanda Júlia), os ingressos já estão disponíveis na plataforma Sympla. Com produção da DA GENTE Produções, "Pele Negra, Máscaras Brancas" é baseado em tese homônima de Frantz Fanon e tem referências de “Os Condenados da Terra”, outra obra do autor.


O primeiro livro apresenta a ferida da subjetividade negra; o segundo traz uma proposta de ação sobre essa subjetividade falhada ou estragada do negro pela colonialidade. A obra de ficção, que se vale de quase todas as teorias e ainda traz personagens analisadas pelo psiquiatra e filósofo, tem um elenco e equipe composta majoritariamente por pessoas negras e negros.

Foto: Adeloyá Magnoni


Distópica, perpassar três períodos – 1950, 2019 e 2888 - para falar sobre como o processo de colonização construiu sofrimentos psicológicos em corpos negros. O espetáculo "Pele Negra, Máscaras Brancas" traz o próprio Frantz Fanon como personagem no ano de 2019 defendendo novamente sua tese de doutorado, rejeitada pela banca examinadora no ano de 1950.


Em meio a defesa, Fanon apresenta seis personagens-tese que vivem em 2888. Nesse tempo-espaço, essas personagens desenvolvem as perspectivas ocidentalizadas de futuro para o negro e acabam enclausuradas em uma casa devido a ultrapassagem de uma das personagens , frente ao “Regime Único Mundial”.


Com codireção de Licko Turle, professor visitante da UNIRIO, a encenação traz um elenco totalmente negro formado por dez atuantes: Iago Gonçalves, Igor Nascimento, Juliette Nascimento, Manu Moraes, Matheus Cardoso, Matheuzza Xavier, Rafaella Tuxá, Thallia Figueiredo, Victor Edvani e Wellington Lima. A coreógrafa Edileusa dos Santos é a responsável pela direção de movimento e preparação corporal.


Ao trazer uma equipe formado por artistas pretos e pretas, Pele Negra, Máscaras Brancas torna-se um projeto politico-racial ao ampliar às narrativas da Cia de Teatro da UFBA. O espetáculo é uma conquista da segunda edição do Fórum Negro de Arte e Cultura - FNAC, em 2018, realizado pela Escola de Teatro e Pró-Reitoria de Extensão da UFBA.


Foto: Adeloyá Magnoni


Ficha técnica

Direção: Onisajé (Fernanda Júlia)

Texto: Aldri Anunciação

Elenco: Iago Gonçalves, Igor Nascimento, Juliette Nascimento, Manu Moraes, Matheus Cardoso, Matheuzza, Rafaella Tuxá, Thallia Figueiredo, Victor Edvani, Wellington Lima

Co-direção: Licko Turle

Assistência de direção: Fabíola Nansurê

Orientação de pesquisa: Alexandra Dumas e Licko Turle

Colaboração em Pesquisa: Cássia Maciel, Edson César e Lucas Silva

Estudantes-pesquisadores: Camila Loyasican, Juliana Bispo, Juliana Luz, Juliana Roriz

Trilha sonora: Luciano Salvador Bahia

Preparação Vocal: Joana Boccanera

Operação de som e vídeo: Fabíola Nansurê

Coreografia e Preparação corporal: Edileusa Santos

Cenografia, Figurino e Maquiagem: Thiago Romero e Tina Melo

Desenho de luz: Nando Zâmbia

Produção: DA GENTE Produções

Direção de produção: Luiz Antônio Sena Jr.

Produção executiva: Anderson Danttas e Bergson Nunes

Assessoria de Imprensa: Theatre Comunicação | Rafael Brito

Design Gráfico: Diego Moreno

Realização: Escola de Teatro - PROEXT – UFBA



Pele Negra, Máscaras Brancas

Data: De 26 a 29 de Novembro

Horário: Quinta a Domingo, às 19h

Local: Zoom

Ingresso: R$ 10,00 | Compre aqui