Espetáculo narra jornada épica de parasitas desbravadores que ocupam um território não-civilizado

"Vacamundi", inspirado nos quadrinhos de Michele Lacocca, estreia no Teatro Paulo Eiró


Foto: Cacá Diniz


O Maracujá Laboratório de Artes estreia o espetáculo adulto "Vacamundi", que marca a quarta parceria da companhia com o premiado autor e ilustrador Michele Lacocca.


A peça faz duas apresentações gratuitas ao ar livre no Teatro Paulo Eiró. A direção é de Sidnei Caria, que também está no elenco ao lado de Dani Theller, Lucas Luciano, Luiã Borges, Nayara Konno e Silas Caria.


Diferentemente das peças anteriores em parceria com Lacocca (As aventuras de Bambolina, Rabisco – um cachorro perfeito e Nerina, a ovelha negra), que adaptavam livros infantis sem palavras, desta vez, o grupo transpõe para o teatro uma história voltada para os públicos jovem e adulto.


Foto: Cacá Diniz


"Vacamundi" é uma sátira em formato de cartum que discute o comportamento destrutivo do homem consigo mesmo e com a natureza, ao retratar parasitas que se propõem a invadir e colonizar uma vaca. O nome da peça é, segundo o próprio autor, uma espécie de trocadilho com o termo “mapa mundi”, deixando bem claro que os parasitas não estão só na vaca, mas ocupam todos os recantos do planeta Terra.


Publicado pela primeira vez em 1984, o livro tem como protagonistas diversos parasitas – endos, ectos e etc – que se encontram no processo de colonização de uma vaca. E, apesar de seus quase 40 anos, a obra se mantém bastante atual, pois explora diversas situações relacionadas à finitude de nossos recursos naturais e sua utilização de forma descontrolada. Prova disso é que o quadrinho acaba de ser relançado pela editora Faria e Silva sem praticamente nenhuma atualização.


Foto: Cacá Diniz


Para contar essa história, o Maracujá criou um espetáculo cômico-musical adulto, partindo da principal característica de seus outros trabalhos: a plasticidade visual. O grupo explora os traços do cartunista na criação de bonecos de manipulação direta e adereços cenográficos. Além disso, incluir no processo de criação outros elementos já pesquisados pelos artistas, como o teatro físico e a música ao vivo.


Inspirado pelo teatro de revista, o diretor Sidnei Caria criou várias canções originais que retratam de forma irônica aspectos diversos desse processo de colonização, com arranjos instrumentais feitos por Luiã Borges e arranjos vocais criados por Yasmin Olí. Tudo isso é cantado e tocado ao vivo (com instrumentos como violão, acordeon, teclado e percussão) pelo elenco.


Em cena, os artistas ainda se revezam para interpretar os diversos personagens dessa “saga nada heroica”, como o chefe do bando, os parasitas enamorados e os sugadores e mordedores.


Foto: Cacá Diniz


Completando a composição destes parasitas, os figurinos de Luciano Ferrari propõem uma releitura dos personagens desenhados pelo cartunista, trazendo texturas, cores e desenhos que auxiliam na construção da fisicalidade e comicidades propostas pelo diretor e adaptador do texto.


O espetáculo foi contemplado pelo ProAC 01/2021 de Produção e Temporada de Espetáculos Inéditos de Teatro, realizado pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Economia Criativa.


Ficha Técnica

Baseado no livro em quadrinhos do autor Michele Iacooca

Adaptação, concepção e direção: Sidnei Caria

Assistente de direção: Lucas Luciano

Elenco: Dani Theller, Lucas Luciano, Luiã Borges, Nayara Konno, Sidnei Caria e Silas Caria

Direção Musical: Sidnei Caria

Trilha sonora e arranjos instrumentais: Luiã Borges

Preparação Vocal e Arranjos Vocais: Yasmin Olí

Músicas: Sidnei Caria

Técnico de som: Edézio Aragão

Preparação Corporal (oficina de Commedia Dell’Arte): Lucas Luciano

Direção de Arte e Cenografia: Sidnei Caria

Equipe de Confecção de cenografia, bonecos e adereços cenográficos: Sidnei Caria, Lucas Luciano, João Caria e Silas Caria

Figurinos e adereços: Luciano Ferrari

Confecção de adereços: Tetê Ribeiro

Coordenação de Produção, administração e design gráfico: Camila Ivo

Assessoria de Imprensa: Pombo Correio

Fotografias: Cacá Diniz e Maracujá Laboratório de Artes

Ilustrações: Michele Iacocca

Realização: Maracujá Laboratório de Artes (Laboratório de Artes Produções)

Espetáculo contemplado com o ProAC 01/2021, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.



VACAMUNDI

Apresentações: Dias 20 e 21 de Agosto

Horário: Sábado e Domingo, às 17h

Local: Avenida Adolfo Pinheiro, 765, Santo Amaro

Ingressos: Gratuito