Espetáculo musical ‘Cordel Viajante’ conduz o público a uma viagem poética pelo sertão nordestino

Trabalho do Núcleo Artístico Forró do Candeeiro é apresentado gratuitamente no Teatro Paulo Eiró


Foto: Caio Galucci


A diversidade da cultura popular nordestina é celebrada no espetáculo musical “Cordel Viajante”, do Núcleo Artístico Forró do Candeeiro, que faz uma apresentação gratuita no Teatro Paulo Eiró.


Com texto do poeta e escritor baiano Marco Haurélio e direção de Raul Figueiredo, o trabalho une forró, baião, xaxado, galope, rastapé e canções juninas à poesia de cordel e à xilogravura. Nesse contexto, o repertório é formado de canções eternizadas por Gonzagão, Dominguinhos, Sivuca, Trio Nordestino, Gil, Zé Dantas, Antônio Barros, Assissão e Humberto Teixeira.


Na trama, o público conhece Juarez, o protagonista da história, interpretado pela atriz Rosa Piscioneri. Ele parte em uma jornada de volta ao sertão nordestino para reencontrar sua amada Maria, após tentar a vida na cidade grande.


Foto: Caio Galucci


Enquanto busca por suas raízes, o personagem conduz os espectadores por paisagens, sensações e particularidades dessa região. A viagem atinge o ápice quando ele, enfim, reencontra seu grande amor, durante uma linda Festa de São João em uma noite estrelada. Juarez personifica o povo nordestino, muitas vezes impelido a migrar pelo Brasil em busca de novas oportunidades, a ponto de acabar castigado pela saudade de viver distante da terra natal.


Ao longo da narrativa repleta de rimas, desenvolvida por Marco Haurélio, estão expostas tanto questões sociais quanto de sabedoria da cultura nordestina. O autor também é pesquisador da literatura de cordel e do folclore brasileiro.


“Todos os poemas foram compostos a partir das canções previamente escolhidas, costurando-as à jornada do protagonista. Esses textos precisavam ser curtos e incisivos, carregados de lirismo, mas sem pieguice. Escrevi tudo como se fosse um sonho de Juarez”, relata Marco.


Foto: Caio Galucci


Para completar toda essa atmosfera, o cenário, assinado por Dhiego Bueno, remete às estampas dos livretos de cordel, com ilustrações carregadas de símbolos sertanejos em xilogravuras criadas pelo artista Cadu Souza (Xilogravuras do Benedito).


O espetáculo estreou em uma temporada online em 2021, com direção de João Paulo Lorenzon. “Ele foi fundamental para fazer a conexão entre o protagonista e a banda. Há um diálogo entre Juarez e os instrumentos que evocam imagens e sensações. João também trouxe para a cena uma dimensão do sonho traduzido nas memórias e lembranças do personagem em sua viagem de volta ao sertão”, conta a cantora Julia King, que idealizou e produz o projeto.


Atualmente, o “Cordel Viajante” conta com a direção de Raul Figueiredo. “O trabalho meticuloso dele e a forma lírica e lúdica com que o Forró de Candeeiro armou a latada completaram essa feliz junção de imaginários”, acrescenta Marco Haurélio. Este projeto foi contemplado pela 5ª edição do Edital de Apoio à Música para a Cidade de São Paulo, da Secretaria Municipal de Cultura.


Ficha Técnica


Voz: Julia King

Sanfona e voz: Rodrigo Scarcello

Baixo e voz: Daniel Doctors

Violão e voz: Fábio Katz

Zabumba: Ed Encarnação

Percussão: Camilo Zorrilla

Triângulo: Wellington Tibério

Narração/ Atriz: Rosa Piscioneri

Idealização e produção: Julia King

Direção Musical: Daniel Doctors e Rodrigo Scarcello

Texto/Poesia de Cordel: Marco Haurélio Fernandes Faria

Direção de cena: Raul Figueiredo

Figurino: Vic Constantino

Iluminação: Lúcia Galvão

Técnico de som: Gabriel Gaucho

Maquiagem: Kathia Laurindo

Fotografia: Caio Galucci

Cenografia: Dhiego Bueno

Ilustrações: Cadu Souza (Xilogravuras do Benedito)

Assessoria de imprensa: Bruno Motta Mello e Verônica Domingues – Agência Fática


CORDEL VIAJANTE

Data: 22 de Maio

Horário: Domingo, às 19h

Local: Av. Adolfo Pinheiro, 765 - Santo Amaro

Ingressos: Gratuitos | Retirar 01 hora antes da apresentação na bilheteria do teatro

Classificação: Livre

Duração: 60 minutos

Capacidade: 467 lugares