Coletiva Palabreria apresenta intervenção artística, curso e simpósio que antecipam a nova peça

Projeto foi contemplado pela 13ª Edição do Prêmio Zé Renato - Secretaria Municipal de Cultural de São Paulo

Foto: Sergio Silva


Como uma espécie de aquecimento para um espetáculo inédito previsto para estrear no primeiro semestre de 2022, a coletiva Palabreria oferece uma série de atividades ao público, sendo elas a performance presencial Palabreria Errante, o curso online Feminismos e Arte na América Latina e o Simpósio Palabreria Conversa - Sobre performance, gênero e raça.

Palabreria Errante

Trata-se de uma intervenção poética-performativa que faz circular discursos feministas por ruas e bairros de São Paulo por meio de caixas de som acopladas a um carro e de encartes coloridos tamanho A2. A exemplo do "carro da pamonha" ou dos "ovos graúdos", tão característicos da paisagem sonora de São Paulo, as artistas anunciam a passagem da coletiva pela cidade, com um jingle executado nos alto-falantes de um carro. Depois, ao estacionar o automóvel, as performers distribuem uma zine com poemas, artigos e materiais textuais de artistas e ativistas feministas - retomando a estética da geração mimeógrafo e dos zines punk – compartilhado por baixo de portas, janelas e portarias.

A zine aborda a questão do feminicídio e da violência de gênero no Brasil e na América Latina. A ideia é, portanto, criar uma camada poética na paisagem sonora da cidade e, ainda, deixar uma interferência artística-feminista no universo de panfletos/flyers que os habitantes da cidade recebem diariamente. A performance passa pela Praça Inácio Dias (Perus) às 7h, pela Praça Elis Regina (Butantã) às 11h e pela Praça Alexandre Fleming (Mooca) às 16h.


Curso Feminismos e Arte na América Latina


Coordenado pelas integrantes da coletiva, o curso aborda algumas produções artísticas e teóricas de artistas latino-americanas na tentativa de compreender os levantes e reivindicações feministas em curso na última década. "Buscaremos analisar como o feminicídio, a violência sexual, o direito ao corpo, a liberdade de expressão e a resistência comunitária tomam forma na literatura, nas artes visuais e na performance", contam as integrantes da Palabrería.

Como procedimento pedagógico, serão analisadas algumas obras a partir da interlocução com referências bibliográficas feministas e, a cada encontro, um artigo, ensaio ou capítulo de livro será utilizado como propulsor da discussão. O curso está dividido em quatro encontros, sendo eles Panorama Contemporâneo, Feminismos Comunitários, Feminismo: Palavra e Voz e Feminicídio e Artivismo.

Simpósio Palabreria Conversa - Sobre performance, gênero e raça


Durante o Simpósio Palabreria Conversa - Sobre performance, gênero e raça, realizado no formato virtual, a coletiva Palabreria receberá artistas e ativistas que abordarão feminicídio, artivismo, dramaturgia, raça, performance, direitos humanos, gênero e dissidências. Os eventos serão transmitidos ao vivo no Canal de YouTube da coletiva. Os artistas confirmados são Stela Fischer (7 de fevereiro), Kanzelumuka (8 de fevereiro), Elton Panamby (9 de fevereiro) e Cleiton Ferreira (10 de fevereiro).


Foto: Sergio Silva


SOBRE O GRUPO

A coletiva Palabreria nasce a partir de processos artísticos e práticas pedagógicas encabeçadas pelas artistas pesquisadoras Fernanda Machado, Luiza Romão e Sofia Boito. O encontro inicial se deu por meio do Projeto Espetáculo, na Fábrica de Cultura da Brasilândia, onde foram desenvolvidas duas peças de teatro em colaboração com cerca de 40 adolescentes: Díptico (2015) e Ponto de Fuga (2017). Em 2018, novamente, estiveram juntas para fazer a performance Scripta Manent, Verba Volant sob direção de Luiza Romão, na biblioteca do SESC Avenida Paulista.

Em 2019, um novo projeto mesclou literatura, teatro, cinema, performance e feminismo a partir de uma perspectiva latino-americana, que resultou, em 2020, no oferecimento de atividades formativas em ambiente digital para o Centro de Pesquisa e Formação do SESC (CPF - SESC SP) e para a Oficina Cultural Oswald de Andrade; além da intervenção digital Palabrería Feminista, com textos de Maria Galindo, Silvia Federici, Angela Davis, e outras. Em 2021, foi ministrado o curso "Feminismos e arte na América Latina", on-line, no Centro de Pesquisa e Formação do SESC (CPF/SESC), além das integrantes do grupo terem sido convidadas a assinar uma coluna na Revista Philos, a partir do número de Outono.


(Presencial) Performance Palabreria Errante

Dia 18 de Janeiro:

às 07h na Praça Inácio Dias (Perus),

às 11h na Praça Elis Regina (Butantã)

às 16h na Praça Alexandre Fleming (Mooca)


(Online no ZOOM) Curso Feminismos e Arte na América Latina

De 24 a 27 de Janeiro

Horário: Segunda a Quinta, das 19h às 21h

Inscreva-se aqui


(Online no YouTube) Simpósio Palabreria Conversa - Sobre performance, gênero e raça

De 07 a 10 de Fevereiro

Horário: Segunda a Quinta-feira, às 20h,

Local: Canal do YouTube da Palabreria


Todas as atividades são gratuitas e têm classificação livre