Clássico de Tennessee Williams, "Zoológico de Vidro", é revisitado em montagem de Lavínia Pannunzio

Sandra Corveloni, Thais Müller, Bruno Rocha e Guilherme Trindade descortinam os estilhaços dos Wingfield

Foto: Bruna Massarelli e Vulva Films


Idealizado pela dupla de atores Thais Müller e Guilherme Trindade o projeto de montagem de Tennessee Williams teve como partida o desejo de, sob diversos aspectos, revisitar esta obra clássica buscando conexões com o contemporâneo.


Para isso, formaram uma equipe disposta a ler por outros diapasões que saíssem de uma de compreensão hermética das personagens e da obra como um todo.


"Zoológico de Vidro" é a mais biográfica peça de Tennessee Williams, passada nos anos 1930/1940, numa América mergulhada na Grande Depressão – nesse zoológico fala de si e dos seus sonhos de artista, da sua saída de casa, da sua mãe e da sua irmã. TW teve em seu tempo uma visão analítica da sociedade, tratou da loucura e das pulsões sexuais de mulheres e homens, dos limites a que chegaram seus personagens, enquanto expôs questões sociais, hierarquias de poder, de classe, racismo e outras tantas fobias enquanto dedicava seu olhar para personagens desesperados, à margem da vida, fora do mecanismo de produção de uma sociedade desestruturada, dando-lhes voz.


Amanda Wingfield e seus filhos, Tom e Laura, residem em St. Louis, no Meio Oeste americano, em plenos anos 1930. Movida pelo sonho de salvar sua família, Amanda, matriarca da família Wingfield, arquiteta um jantar para casar sua caçula Laura, com o melhor pretendente possível, um homem que seja capaz de reerguer a família Wingfield. O pai, ausente. Saiu de casa e nunca mais voltou. A mãe, iludida. Vive no sonho americano onde mulheres são excelentes consumidoras de eletrodomésticos. A filha, coxa, deslocada por não caminhar em vários sentidos, como sua mãe sempre quis. O filho assumiu o papel de “homem da casa” e “arrimo de família” quando o pai fugiu e vive o conflito de aflorar sua identidade. O pretendente, um jovem negro, inteligente, bonito, bem-sucedido, é ele quem vai mudar o destino dos Wingfield.


Foto: Bruna Massarelli e Vulva Films


A peça Zoológico de Vidro foi produzida pela primeira vez por Eddie Dowling e Louis J. Singer no Civic Theatre, em Chicago, Illinois, em dezembro de 1944, e no Playhouse Theatre, na cidade de Nova Iorque, em março de 1945. A peça The Na Broadway estreou no ano seguinte, em 31 de março de 1945, permanecendo em cartaz no Teatro Playhouse até 29 de junho de 1946, com elenco formado por Eddie Dowling (Tom Wingfield), Laurette Taylor (Amanda Wingfield), Julie Haydon (Laura Wingfield) e Anthony Ross (Jim O'Connor).


Em 1947, a peça teve sua primeira encenação no Brasil.



Ficha Técnica

Texto: Tennessee Williams

Tradução: Clara Carvalho

Direção: Lavínia Pannunzio

Elenco: Sandra Corveloni, Thais Müller, Bruno Rocha e Guilherme Trindade

Iluminação: Gabriele Souza

Cenografia: Marisa Bentivegna

Sonoplastia: Rafael Thomazini

Figurino: Daniel Infantini

Cenotécnico: Marcelo Gomes

Operação de som: Rafael Thomazini

Operação de luz: Ycaro Zanzini

Fotografia e filmagem: Bruna Massarelli e Vulva Films

Assessoria de imprensa: Adriana Monteiro

Produção: Cícero Andrade e Vivian Vineyard

Realização: Mosaico Produções Artísticas

Idealização: Duas Gotas


ZOOLÓGICO DE VIDRO

Temporada: De 29 de abril a 28 de Maio

Horário: Sextas, às 21h | Sábados, às 20h

Local: Rua Tamarutaca, 302, Vila Guiomar - Santo André

Ingressos: R$ 40,00 (inteira) | R$ 20,00 (meia) | R$ 12,00 (credencial plena) | Compre aqui

Capacidade: 303 pessoas

Duração: 90 minutos

Classificação: 12 anos


Para ingressar nas unidades do Sesc no estado de São Paulo* é necessário apresentar comprovante de vacinação contra Covid-19 (físico ou digital) e um documento com foto:


• Maiores de 12 anos devem apresentar o comprovante contendo as duas doses ou dose única da vacina.


• Crianças de 5 a 11 anos devem apresentar comprovante evidenciando uma dose (consulte o calendário e as orientações do município onde acontecerá a atividade).


Recomendamos o uso da máscara cobrindo boca e nariz.


Para atividades com ingresso, será necessário apresentar o QRCode na entrada da atividade.


*O acesso as unidades do Sesc estão sujeitas a legislação municipal em relação a Covid-19.