Cia La Bagaça estreia temporada virtual do espetáculo "Encruzilhada"

O espetáculo é também um convite à discussão de temas socialmente relevantes

A Cia La Bagaça estreia Encruzilhada, seu primeiro trabalho profissional, que fica em temporada virtual na plataforma do Youtube da Casa Preta Espaço de Cultura. Construído coletivamente pelo grupo formado por jovens entre 18 e 24 anos e artistas convidados, a montagem reúne influências do Hamlet de Shakespeare, da música das quebradas e até do universo cinematográfico da Marvel.


Encruzilhada evoca o teatro como linguagem fundamental, se aproxima do cinema e absorve expressões da tecnologia na construção de uma trama que joga com uma experiência não-linear do tempo. Na peça, três personagens femininas (Lana, Loni e Olah) expressam a conexão entre presente, passado e divino para observar e contar a história do jovem Bruno, que ao festejar seu aniversário de 18 anos com seus amigos e amigas, descobre trágicos segredos que envolvem a história da sua família.


A peça se passa na casa da família do protagonista Bruno, mas há também cenas numa cela de prisão e numa espécie de “não-lugar”, a partir do qual atuam as divindades femininas do tempo. No processo criativo, ao longo das leituras do texto e dos ensaios, majoritariamente ocorridos virtualmente, o conceito dos espaços cênicos se invertem: o ambiente do divino torna-se mais palpável, enquanto a casa simplesmente some enquanto imagem concreta, dando à interpretação dos atores o protagonismo cênico. Já as cenas na prisão flertam com o realismo: uma “cela-andaime” mostra Ícaro e Glória - enclausuradas nelas mesmas.


O espetáculo é também um convite à discussão de temas socialmente relevantes, bem como à desnaturalização de como se idealiza e se enxerga o feminino. Dentre as divindades femininas está uma travesti, que é apresentada na peça como uma das mais antigas expressões do feminino. Ao mesmo tempo em que essa tríade divina faz referência às Deusas Moiras do destino na mitologia grega, elas também aludem a Exu, divindade eminentemente masculina na mitologia iorubá. São essas divindades que acompanham o desvendar da história familiar de Bruno e interferem no passado e no presente para que o rapaz, ao descobrir a verdade que circunda sua família, possa inaugurar um novo ciclo de prosperidade e felicidade.


A Cia La Bagaça desenvolveu um espetáculo fictício que, em diversos momentos, revela influência das tragédias gregas e shakespearianas, bem como dos folhetins televisivos e da linguagem soteropolitana, o que permite uma maior identificação do público com a trama. Os integrantes da La Bagaça estão contentes em apresentar Encruzilhada para o grande público, com especial atenção a moradores e moradoras dos bairros que residem, como Mata Escura, Brotas, Mussurunga, Uruguai, São Caetano, Pero Vaz, Alto de Coutos, Calabar e Castelo Branco.


Diante da pandemia do covid-19 e da inevitável necessidade de reinvenção também no teatro, o espetáculo fará apresentações online seguidas de bate-papo com o elenco/equipe de Encruzilhada sobre a obra e temas correlatos, em que convida moradores de seus bairros de origem. “À nossa maneira, estamos dizendo que é possível fazer diferente, é possível escolher fazer diferente na vida e no palco. Desejamos provocar a fala da audiência, sobretudo se forem jovens como nós, provocar um debate saudável que esperamos que possa levá-los a pensar sobre sua forma de se colocar na sociedade ”, afirma Igor Bispo, integrante da Cia La Bagaça e co-autor do espetáculo.


O projeto é financiado pelo Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura (Programa Aldir Blanc Bahia), via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.


Ficha Técnica

Direção Gordo Neto e Gustavo Melo

Coordenação de Produção Fernanda Paquelet

Equipe de Produção Cláudio Rocha, Igor Bispo, Rebeca souza, Vitinho Silva e Pablu Carvalho

Dramaturgia Cláudio Reis, Igor Bispo, Pablu Carvalho e Gustavo Melo

Catering Fernanda Paquelet, Mariana Laly e Maria Paquelet

Concepção e Composição de Figurino Rino Carvalho

Costureira Angélica Paixão

Adereços Cia La Bagaça

Maquiagem Pablu Carvalho e Flávia Peixinho

Direção de Arte, Cenografia, Som Direto, Elétrica e Iluminação Fred Alvin

Cinegrafista, Direção de Fotografia, Direção de Set, Foquista, Direção de Arte, Som Direto, Montagem, Edição e Finalização Moisés Victório

Still Alan Garfo

Direção e Produção Musical Ricardo Caian

Preparação Vocal Manuela Rodrigues

Instrumentistas Ricardo Caian, Igor Bispo, Marcos Vinicius, Pedro Paulo

Voz Igor Bispo e Diana Zurk

Logistica Cazumba Transporte

Motoristas Anderson Cazumba Gomes e Fábio


Programação de Exibição e Bate-papo


13 de agosto – sexta feira – ESTREIA GERAL 19:00h

Bate-papo – Público convidado – amigos e familiares


14 de Agosto – Sábado – 19h

Felipe, Valéria e João Deusa – Cidade Baixa


15 de Agosto – Domingo – 19h

João Vitor, Deyse e Marcus – Engenho Velho De Brotas


16 de Agosto – Segunda-feira – 16h

Vitinho e Franciellen – Castelo Branco e Águas Claras


16 de Agosto – Segunda-feira – 19h

Diana e Igor – São Caetano e Mussurunga


17 de Agosto – Terça-feira – 16h

Claudio e Pablo – Boiadeiro e Alto de Coutos


17 de Agosto – Terça-feira – 19h

Alan, Pedro e Nicoly – Mata Escura


18 de Agosto – Quarta-feira – 16h

Igor e Luan – Pero Vaz


18 de Agosto – Quarta-feira – 19h

Vitinho e Rebeka - Amaralina


Assista no canal do Youtube da Casa Preta Espaço de Cultura.