Cia. Hiato faz novas apresentações de "Odisseia", com elenco composto apenas por mulheres

Espetáculo mistura trechos do clássico épico de Homero com narrativas pessoais do elenco


Foto: Lígia Jardim


Indicada ao prêmio Shell em 2018, o bem-sucedido espetáculo "Odisseia" (ou o desaparecimento do público), o sétimo trabalho da premiada Cia. Hiato, ganha quatro novas apresentações no TUSP – Teatro da USP. A peça é inspirada no épico de Homero e tem direção de Leonardo Moreira e dramaturgia coletiva.


No poema épico Homero, o herói Ulisses narra sua turbulenta e longa viagem de volta para casa em Ítaca, depois de ter lutado na Guerra de Troia. Durante dez anos, o narrador da história foi feito de refém pelo próprio mar e vivenciou uma série de perigos e aventuras mitológicas. Assim como a “Ilíada”, que narra a disputa entre os exércitos de Aquiles e Heitor na Guerra de Troia, a “Odisseia” tem origem na tradição oral e é considerado uma das pedras fundamentais da literatura ocidental.


Foto: Lígia Jardim


O espetáculo da Cia. Hiato associa trechos da obra original às experiências da vida dos atores. É o ponto de chegada de uma longa jornada de volta; um desejo de regresso ao lar; um conto simples e humano contado através de uma estrutura complexa; mas principalmente é uma tentativa de pensar em nós mesmos como fragmentos antigos de uma arqueologia futura.


O protagonista Ulisses não está presente em cena; o público deve assumir esse papel ao ouvir as histórias contemporâneas. Em diferentes momentos, o espectador pode assumir a figura de um migrante, um líder político ou militar, um estrategista, um poeta, um pai e marido amoroso, um adúltero, um morador de rua, um ladrão e mentiroso, um assassino em massa, um herói de guerra e assim por diante.


Foto: Lígia Jardim


A companhia dividiu a obra de Homero em sete investigações ligadas a um dos seguintes personagens: Telêmaco, o filho abandonado; Penélope, a esposa que aguarda longamente o retorno do marido; a ninfa Calipso, que oferece a Ulisses a sua imortalidade e amor; Circe, a bruxa que o guiou ao mundo dos mortos; os companheiros de navio que morreram antes de chegar em casa; os escravos da casa do protagonista; a deusa Athenas, que arquitetou uma guerra no nome do herói.


A ideia é que os personagens e atores contem suas histórias pessoais – algumas verdadeiras, outras falsas, sonhos, memórias e dúvidas. O espetáculo mostra ao público que não há limites entre a mitologia e a vida comum e que todos podem ser igualmente míticos e ordinários.


Ficha Técnica:

Direção: Leonardo Moreira

Escrito por: Aline Filócomo, Aura Cunha, Fernanda Stefanski, Leonardo Moreira, Luciana Paes, Maria Amélia Farah, Paula Picarelli e Thiago Amaral

Elenco: Aline Filócomo, Aura Cunha, Flávia Melman, Maria Amélia Farah, Nilceia Vicente e Paula Picarelli

Assistência de Direção | Codireção: Aura Cunha e Luciana Paes

Dramaturgismo: Mariana Delfini

Iluminação e Cenografia: Marisa Bentivegna

Direção Audiovisual e Arte Gráfica: Laerte Késsimos

Trilha Sonora: Miguel Caldas


Operação de som: Tomé de Souza

Figurinos: Chris Aizner


Objeto de Cena (Argos), Operação de Vídeo e Assistência de Palco: Cezar Renzi

Assessoria de Imprensa: Pombo Correio

Fotos: Elina Giounanli e Ligia Jardim

Registro em Vídeo: Ricardo Sêco

Direção de Produção: Aura Cunha

Produção Executiva: Yumi Ogino


ODISSEIA

Temporada: De 22 a 25 de Setembro

Horário: Quinta a Sábado, às 19h | Domingo, às 18h

Local: R. Maria Antônia, 294 - Vila Buarque

Ingressos: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia)

Duração: 240 minutos

Classificação: 18 anos

Capacidade: 90 lugares