Cia do Escombro apresenta " Ruído" na Oficina Cultural Oswald de Andrade

Obra inédita no Brasil narra a história de uma família peruana dos anos 1980 que aprendeu a viver em um país autoritário

Foto: OMailto Studio


Em Ruído, a autora Mariana de Althaus, a partir de suas memórias, constrói um retrato de pessoas comuns que aprenderam a viver em um país autoritário, assombrado pela inflação, apagões, falta de água, escassez, violência e terrorismo. O cenário da peça é o Peru dos anos 1980 e aponta para o anseio do diretor Daniel Aureliano de trabalhar com autoras e autores latino-americanos contemporâneos ainda pouco conhecidos no Brasil. O elenco é composto por Amanda Rodovalho, Andrea Tedesco, Camilo Schaden e Priscilla Carbone. As apresentações são gratuitas e acontecem na Oficina Cultural Oswald de Andrade, programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo e gerenciada pela Poiesis.

“Esse texto chegou até mim por sugestão da Priscilla Carbone, que é do elenco da companhia. Quando li a primeira vez, achei interessante reforçar que, embora sejamos países diferentes e temos a barreira da língua, há situações comuns que ocorreram na América Latina, como a Ditadura Militar e o constante fantasma desse período que está presente no nosso cotidiano”, revela Daniel Aureliano sobre a peça, que marca sua estreia como diretor.

Contemplado pelo ProAC n°01/2020 da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Ruído combina uma situação aparentemente prosaica a lampejos cômicos e absurdos, como os trabalhos anteriores da Companhia, Pornoáudio (2016) e Olfato (2018).

Foto: OMailto Studio


A peça narra a história de uma mulher, identificada como “Vizinha”, que, impedida de voltar à sua casa, por conta do toque de recolher, termina passando a noite na casa de uma família de vizinhos. Com sons (ruídos) que vão ajudando a construir a dramaturgia, ela não consegue voltar e espera notícias do lado de fora.

A personagem Augusta, mãe da família, assiste a televisão compulsivamente e se sente orgulhosa por conseguir vinho argentino via contrabando. “Nós usamos o universo dos anos 1980 e trouxemos para a cena as referências da televisão, que colabora com o discurso, com a narrativa. A dramaturgia propõe esse debate, como esse meio pode alienar e moldar a forma como vivemos. A influência da televisão nos anos 80 é muito decisiva e ainda presente na atualidade”, analisa Aureliano.

A família de Augusta, formada pelos filhos, Augustinho e Augustinha, é geniosa, divertida e irônica, mas um fracasso como seres sociais. As relações trazidas à tona pelas personagens mostram um mundo em que os indivíduos se encontram cada vez mais apartados de seu ambiente social e anestesiados em relação ao que acontece ao redor.


Ficha Técnica

Dramaturgia: Mariana de Althaus

Direção artística: Daniel Aureliano

Tradução: Camilo Schaden e Daniel Aureliano

Elenco: Amanda Rodovalho, Andrea Tedesco, Camilo Schaden e Priscilla Carbone

Direção de arte: Clau Carmo

Desenho de luz: Laiza Menegassi

Desenho de som: Edson Secco

Criação audiovisual: Bruno Sperança

Orientação para estudos latino-americano: Ana Julia Marko

Composições originais: Camilo Schaden

Cellista off: Rebeca Lopes

Voz off: Amanda Rodovalho, Camilo Schaden, Eduardo Parisi e Raúl Durán (Grupo Yuyachkani)

Operação de luz: Lua Melo Franco

Operação de som: Milla Bastos

Operação audiovisual: Bruno Sperança e Marcos Fellip Sales

Costureira: Salete André

Cenotécnica: Alessandra Siqueira

Visagismo: Soul Hair Barber - Pablo Rodrigues e Marcelo Gomes

Arte gráfica e Social Media - Macondo Design

Foto e vídeo: OMailto Studio - Flávio Mailto

Assessoria de imprensa: Canal Aberto - Márcia Marques

Assistência de assessoria de imprensa: Daniele Valério e Flávia Fontes

Idealização: Daniel Aureliano e Priscilla Carbone

Elaboração do projeto: Camilo Schaden, Daniel Aureliano, Priscilla Carbone e Teresa Borges

Produção: Muchas Gracias Produções - Daniel Aureliano

Realização: Cia. do Escombro e Governo do Estado de São Paulo

Projeto contemplado no Edital ProAC n°01/2020 - Produção e Temporada De Espetáculos Inéditos de Teatro.

RUÍDO

Temporada: Até 09 de Abril

Horário: Sextas, às 20h | , às 18h

Local: Rua Três Rios, 363 - Bom Retiro

Ingressos: Gratuito | Distribuídos uma hora antes do início da sessão*

Classificação: 14 anos

Duração: 105 minutos

Lotação: 30 lugares


* Um ingresso por pessoa.


Entrada permitida somente com o uso de máscara. Durante a permanência no local, siga os protocolos sanitários para prevenção da Covid-19.

RUÍDO NA INTERNET: WEBINÁRIO COM MARIANA DE ALTHAUS

Coordenação: Daniel Aureliano


Dia: 31 de Março

Horário: Quinta, das 20h às 21h30

Público: atores/atrizes, dramaturgues, escritores, estudantes de teatro e artistas e interessados em geral

Inscrições: até 30/03 via e-mail: producao.ruido@gmail.com

Indicação: Livre

Local: Plataforma Zoom