Cia. Caxote Teatro Íntimo estreia o espetáculo "O Vendedor"

A montagem apresenta uma alquimia entre teatro, artes plásticas, cinema, e efeitos visuais e sonoros



O texto é uma espécie de reflexão sobre as decisões que tomamos a cada instante; sobre as histórias que passam a existir a partir de cada escolha. Ao decidirmos algo, logo uma bifurcação aparece em nossa frente nos inquirindo uma nova escolha, e depois mais outra, e assim, como aparece em uma fala da peça, “continuamos boiando num infinito mar de hipóteses”. Dessa forma, nossa vida segue sendo construída como numa fábula, num livro, com exceção apenas em relação ao epílogo, que no caso da vida, só acontece com a morte. Já na ficção, o livro sagrado que o Vendedor oferece ao Homem, é um livro aberto e prestes a ser preenchido pela vida desse próprio sujeito – Homem solitário – que coleciona livros e histórias, mas que no fundo, deseja, quiçá, um dia, deixar registrada algures sua própria existência.

O espaço cênico pensado para a execução da obra, ao vivo, foi fator determinante para desenhar os caminhos da investigação deste teatro online. A primeira necessidade era ter uma casa real, que pudesse deixar de ser uma casa cotidiana, e que redimensionasse (artistas e espectadores) a outros tempos - antigos e futuros. Então, o que era uma casa comum, onde vive um dos atores do CaTI, passou a abrigar uma realidade ficcional. A casa foi reestruturada para receber uma espécie de instalação - outros móveis, outros objetos, outras luzes; além da pesquisa de fotografia, enquadramento e planos, que contribuíram para explorar todas as possibilidades do ambiente. SINOPSE O que você faria se recebesse em sua casa, ao anoitecer, em meio a uma penumbra eterna, um vendedor de livros raros? E o que você faria ainda se ele lhe oferecesse um livro que não possui um fim? Um homem se encontra nesta situação e nós estamos investigando sua história, ao vivo, através de uma mídia online. Sobre o grupo O CaTI – CAXOTE TEATRO ÍNTIMO foi criado em 2013 com o objetivo de investigar o teatro na linguagem contemporânea, por meio de obras de autores clássicos e de novos dramaturgos. Além disso, em seus espetáculos, busca integrar artes cênicas e outras artes, e investigar o espaço alternativo e a relação intimista entre o público e a cena.

Em 2014, o núcleo estreou o primeiro espetáculo: “Por acaso, navalha”, com direção de Fernando Aveiro, no Espaço Mínimo, ex-sede do grupo em São Paulo. Essa releitura do texto de Plínio Marcos cumpriu uma temporada de três meses na capital e realizou apresentações no interior do estado e litoral paulista. Com “Por acaso, navalha”, o CaTI obteve grande repercussão na mídia, êxito na formação de público, críticas aferindo relevância social e artística para o trabalho proposto pelos artistas – sobretudo do ponto de vista da inovação, ao propor um teatro-instalativo – além de três indicações ao Prêmio “Melhores do Teatro R7 2014”: para Bárbara Salomé e Humberto Caligari como atriz e ator revelação e para Rosângela Ribeiro como melhor cenário.

Em 2017 o grupo inicia uma pesquisa de teatro solo multifacetado, chegando ao segundo trabalho do CaTI - “Obra Sobre Ruínas” - com atuação de Humberto Caligari e texto e direção de Fernando Aveiro. A peça fala sobre um Ser que decide passar por uma lobotomia para se adequar aos padrões impostos pela sociedade. O trabalho cumpriu uma temporada com 20 apresentações em São Paulo, na SP Escola de Teatro – Sede Roosevelt.

Em 2019, o CaTI estreia seu terceiro espetáculo, “EX-GORDO”, de Fernando Aveiro, que cumpriu temporada com 15 apresentações no SESC Ipiranga, e, em 2020, realizou curta temporada na Oficina Cultural Oswald de Andrade e apresentação especial no SESC São Caetano/SP. Em 2020 o CaTI foi convidado para apresentar a peça no SESC Digital. A temática da obra é sobre a vida de um homem, que após passar por uma cirurgia bariátrica, tenta se restabelecer – seja na sociedade a qual ele não mais reconhece, ou, com seu “eu” interior. Em 2020, o núcleo iniciou um processo de criação virtual a partir do texto “O Vendedor”, de Phabulo Mendes, resultando num espetáculo virtual, com estreia digital no Teatro Paulo Eiró.

FICHA TÉCNICA Texto - Phabulo Mendes Direção - Fernando Aveiro Atuação - Humberto Caligari e Murilo Inforsato Concepção Criativa de Intervenções Visuais - Thiago Zanotta Iluminação - Julia Orlando Cenário e Figurino - CaTI - Caxote Teatro Íntimo Intérprete em Libras - Caio Moreira Assessoria de Imprensa - Pombo Correio Produção Executiva - Murilo Inforsato Produção Geral - Fernando Aveiro e Humberto Caligari


O VENDEDOR Apresentações: Dias 20, 21, 22, 27*, 28/02 e 01/03 - 20h

* no dia 27/02 haverá tradução em libras com o intérprete Caio Moreira.

Local: canal do YouTube CATI TEATRO

Duração: 40 minutos.