Centro Cultural Marieta lança a 1ª edição do Curso sobre Gestão Cultural

Iniciativa busca investigar e divulgar experiências e práticas alternativas de gestão cultural

A série de encontros proposta pelo Centro Cultural Marieta é uma iniciativa que busca investigar e divulgar experiências e práticas alternativas de gestão cultural, abordando novas metodologias de trabalho, preciosas para a superação dos modelos tradicionais e o surgimento de novos paradigmas para o sistema da cultura.

Nesta primeira edição, serão abordadas quatro áreas temáticas: sistema da cultura, mediação cultural, mecanismos alternativos de financiamento e planejamento.

As pessoas convidadas para palestrar são gestoras de espaços e iniciativas culturais exemplares, com experiências e vivências distintas, reunidas para enfrentar aspectos diversos da área de gestão cultural. As apresentações abordarão questões teóricas, técnicas e sociológicas, sempre amparadas por exemplos concretos e tendo como pauta as práticas das profissionais.

Ao final das apresentações sempre há uma conversa aberta com as pessoas participantes.

No último encontro, mediado por Giovanni Pirelli, sem apresentações, para que as participantes possam discutir livremente sobre as questões que emergiram ao longo dos quatro encontros e encerrar o ciclo.


Para quem é esse curso?


Ao elaborar este ciclo de encontros, a organização pensou especialmente nos movimentos e experimentações que acontecem no circuito não institucional da cultura, aquele que pode ser definido como “auto-organizado” – feito pelas pessoas, para as pessoas.

São gestoras e gestores de centros culturais, espaços voltados para as artes visuais, ateliês coletivos, cineclubes, teatros e casas de show, centros de pesquisa e formação, livrarias, ocupações culturais, feiras alternativas, festivais, residências artísticas, cooperativas, associações, entre inúmeras outras possibilidades.

Todos esses agentes culturais, disseminados capilarmente porém de forma não homogênea no Brasil, cumprem um papel vital na sociedade contemporânea e o que mais sofreu nos últimos meses de pandemia e anos de desmonte do investimento público.


Cronograma


14 agosto 2021 | O sistema da cultura

com Giovanni Pirelli (Marieta)

21 agosto 2021 | Mediação Cultural

com Lia Jamra, Luisa Setton e Sylvia Guimarães (Vaga Lume)

28 agosto 2021 | Mecanismos Alternativos de Financiamento

com Iran Giusti (Casa1)

04 setembro 2021 | Planejamento Estratégico e Operações

com Marcela Amaral (Casa do Povo)

11 setembro 2021 – Encerramento


1ª edição do Curso sobre Gestão Cultural

Quando: de 14 de Agosto a 11 de Setembro

Horário: Sábados, das 10h às 12h30

Local: Plataforma Zoom

Investimento: R$ 459,00*

Faça sua inscrição aqui


*Reservamos 20% das vagas do curso para bolsistas. Na escolha das candidaturas, daremos prioridade para pessoas negras; indígenas; LGBTQIA+; periféricas; em situação de vulnerabilidade social. No formulário de inscrição, temos uma seção reservada para quem quiser pleitear uma bolsa.



Palestrantes


Giovanni Pirelli é gestor cultural e curador, sócio-diretor da empresa de consultoria cultural Cactus e diretor executivo do centro cultural Marieta. Italiano, frequentou cursos de Literatura Contemporânea da Universitá degli Studi di Milano e, entre 2012 e 2013, fundou e coordenou o Cubo, incubadora de artistas e projetos culturais, localizada no centro de Milão. Desde 2009 é conservador e promotor do acervo da obra da artista italiana Marinella Pirelli, sua avó. Especializado em gestão cultural pelo Sesc-SP (2020), desde 2015 coordena as atividades do centro cultural Marieta, em São Paulo.


Iran Giusti é formado em Relações Públicas e além de atuar na área, trabalhou como jornalista, focado na produção de conteúdos de direitos humanos e da comunidade LGBTQIA+. Há quatro anos se dedica à Casa 1, Centro de Acolhida e Cultura LGBT+ em São Paulo.


Marcela Amaral é gestora cultural formada em Artes Plásticas pela FAAP e em História pela PUC, com especialização em Gestão de Bens Culturais pela FGV-SP. Atua no mercado de produção e gestão cultural desde 2001. Trabalhou em importantes galerias como Nara Roesler e Galeria Millan, escritórios de produção como Arte 3 e instituições de destaque do circuito de São Paulo como MIS, Paço das Artes e Fundação Bienal. Como autônoma, esteve envolvida em grandes eventos como a 27a e 29a Bienal de São Paulo, II Fórum Internacional de Bienais, Fórum de Galerias e outros eventos culturais em diferentes localidades no Brasil e fora dele. Nos últimos três anos, esteve à frente do núcleo de Planejamento e Operação da Fundação Bienal de São Paulo e hoje é diretora de operações na Casa do Povo.


Lia Jamra Tsukumo, responsável pela gestão dos projetos educacionais e negócios sociais da Vaga Lume, ONG que atua há 20 anos na área de Educação e Leitura na região da Amazônia Legal Brasileira. Publicitária formada pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM – SP), com pós-graduação em Comportamento do Consumidor pela ESPM e Pesquisa de Mercado pela ESIC – Madrid. Especialista em Gestão de Organizações do Terceiro Setor pela FGV. Atuou por mais de 15 anos com Marketing e Inteligência de Mercado, passando por empresas como a AmBev e Suzuki. Iniciou a atuação na área social em 2015 como voluntária, e posteriormente gerente de comunicação e captação de recursos


Luisa Setton atua como coordenadora de Negócios Sociais na Vaga Lume. Formada em Ciências Sociais (licenciatura e bacharelado) pela FFLCH-USP e especialista em Literatura para Crianças pelo ISE Vera Cruz. Trabalha na Vaga Lume desde 2017, em projetos de assessoria nas áreas de curadoria de acervo, criação de bibliotecas e leitura digital.


Sylvia Guimarães é co-fundadora e atual Presidente da Associação Vaga Lume, organização sem fins lucrativos que há 20 anos promove o acesso à leitura e a gestão de bibliotecas comunitárias em 86 comunidades rurais da Amazônia Legal Brasileira. Sylvia também é Diretora de Community Engagement da escola Avenues. Formada em História na Universidade de São Paulo e licenciada em Pedagogia pela mesma universidade, desde 2004 é reconhecida como Líder Social pela Fundação Avina, membro da rede Intercultural Leaders da ONU desde 2011 e fellow da Vital Voices Global Partnership. Em 2013 foi finalista do Prêmio Folha de Empreendedores Sociais e também do Prêmio Visionaris UBS.