Após 17 anos desde sua última apresentação, "Van Gogh" volta em versão on-line

Solo de Elias Andreato com direção de Márcia Abujamra estreou em 1993


Foto: João Caldas


VAN GOGH retrata o universo violento deste pintor que, aos 37 anos, se suicidou após uma vida de repetidas negações: negação do reconhecimento como artista, negação do amor e do convívio social. Apesar de ter apenas um quadro vendido em vida, os trabalhos de Vincent Van Gogh alcançam hoje somas exorbitantes, e sua trajetória pessoal e profissional vem sendo vasculhada e interpretada de diversas maneiras.


O espetáculo persegue o fluxo criativo do artista, sua obsessão pela pintura, seu amor pela natureza e pela vida humana, e trabalha a partir da violência delicada que só um gênio como Van Gogh consegue ter. O lóbulo da orelha direita cortado, a perda dos dentes, a suposta epilepsia ou doença de Meunière e tantos outros diagnósticos (são mais de 100 diagnósticos) apenas intensificam esse fluxo, essa obsessão e esse amor.


Vincent Van Gogh (1853-1890) foi um trabalhador incansável, conhecia apenas um ofício: pintar. E, ao lado de uma produção extremamente rica (mais de 800 telas), deixou também muitas cartas ao seu irmão Théo, à sua mãe e à sua irmã, e a outros artistas como Emile Bernard e Paul Gauguin. Este material escrito, que serviu de base para a elaboração do roteiro de VAN GOGH, representa, hoje, um precioso documento que possibilita o acompanhamento do seu processo de criação.

O espetáculo sempre teve grande adesão do público e da crítica, tendo feito temporada em muitas capitais brasileiras – São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Curitiba, Salvador, Belo Horizonte –, em diversas cidades do interior de São Paulo, além de participar em muitos Festivais (São José dos Campos, Campina Grande, Brasília, Salvador). Apresentou-se também no FlaBra/Festival de Miami e em New York, no teatro do grupo novaiorquino Mabou Mines. O espetáculo deu a Elias Andreato os Prêmios Shell e Apetesp de melhor ator, a Wagner Freire o Prêmio Shell de melhor iluminação e indicação para o Prêmio Shell de melhor direção para Márcia Abujamra.

“A repercussão do espetáculo foi enorme e, a cada nova temporada, o público comparecia com uma grande expectativa, felizmente sempre atendida. Até hoje ouvimos perguntas sobre se o espetáculo volta em cartaz e escolhemos, então, propor sua remontagem e gravação para disponibilizá-lo na rede e fazer algumas apresentações especiais para escolas de teatro.


Queremos, ainda, trazer na gravação, tradução em libras com o objetivo de atingir um público que potencialmente teria interesse em conhecer o espetáculo.”, conta a diretora

Ficha Técnica:

Roteiro: Elias Andreato e Marcia Abujamra

Solo de Elias Andreato

Direção: Marcia Abujamra

Iluminação: Wagner Freire

Sonoplastia: Aline Meyer

Gravação: Black Eye Entertainment e Radar Sound

Edição: Caio Rodriguez

Fotos: João Caldas

Produção: Dispositivo Produções Artísticas

VAN GOGH (a partir das cartas de Vincent Van Gogh a seu irmão Theo)

Temporada: dias 28, 29 de Março e 03 e 04 de Abril

Horário: às 19h Local: Zoom | Acesso liberado 15 minutos antes da apresentação

Ingresso: Gratuito


Ao final da transmissão haverá um bate papo ao vivo com o Elias Andreato e a Marcia Abujamra