Alvenaria Espaço Cultural apresenta a 1ª Mostra de Monólogos MoMo

O festival reunirá sete espetáculos solos aprovados em edital com o apoio da Lei Aldir Blanc.


Foto: Marina Casagrande



De 16 a 23 de março acontece no Alvenaria Espaço Cultural a 1ª Mostra de Monólogos MoMo. O festival reunirá sete espetáculos solos aprovados em edital com o apoio da Lei Aldir Blanc, todos com transmissão online pelo site da casa (). Entre eles, uma estreia, Madame e a Faca Cega, da Nossa Companhia. O evento contará, ainda, com um trabalho internacional convidado especialmente para dar visibilidade a experimentos teatrais de outros países, Nina e as despedidas (França). Todas as apresentações serão gratuitas.


Segundo as idealizadoras do projeto, Bia Toledo e Tati Bueno, a ideia do festival nasceu do caráter excepcional imposto pela pandemia de covid-19. Diante do fechamento dos teatros e demais espaços culturais, surgiu a necessidade de se encontrar novos formatos de levar arte e cultura aos espectadores. O resultado é uma seleção de trabalhos intimistas que dão visibilidade à cena teatral independente, mantendo vivo o vínculo entre quem faz arte e quem a aprecia, mesmo com a distância física exigida pelo momento.


A seleção dos espetáculos foi feita por uma equipe de curadores com especial atenção à perspectiva de gênero, privilegiando obras que abordam a temática da diversidade, na forma e no conteúdo, ou que tenham mulheres protagonistas, em cena, na dramaturgia, na direção ou na técnica.


“O caráter destemido do projeto é parte integral da sua idealização. Estamos a postos para abrir um diálogo autêntico com a sociedade. E, nesse sentido, MoMo, nome do deus grego que personifica a ironia e o delírio, foi a inspiração para a primeira edição da mostra”, contam Bia Toledo e Tati Bueno.


Confira a programação completa do MoMo, a 1ª Mostra de Monólogos do Alvenaria Espaço Cultural


PAIXÕES DA ALMA - 16 de março, às 20h30

Cláudia Missura prepara um ensopado e dá a receita de como se proteger das paixões que atacam nossa alma, neste monólogo inspirado na obra do filósofo francês René Descartes.


Ficha Técnica

Com: Cláudia Missura

Direção e Adaptação: Marcelo Romagnoli

Operação de som: Joana Bergman

Criação musical: Natália Mallo

Objetos cenográficos e luz: Marisa Bentivegna


COMO TODOS OS ATOS HUMANOS - 17 de março, às 20h30

O espetáculo aborda a naturalização da violência, levando à cena, numa alusão inversa de Electra, uma narrativa tétrica na qual a filha, obcecada por seu pai, é por ele subjugada.E, ao contrário do que dita sua paixão e admiração, o extermina furando seus olhos com um estilete. Ao cometer esse “parricídio ocular”, ela termina por incidir simbolicamente no aniquilamento arquetípico do patriarcado e de toda a vigília que a redoma masculina exerce sobre a mulher.


Ficha técnica

Dramaturgia e atuação: Fani Feldman

Direção: Rui Ricardo Diaz

Assistência de direção: Plínio Meirelles

Treinamento e preparação: Antonio Januzelli

Iluminação: Osvaldo Gazotti

Cenário/Figurino: Daniel Infantini

Idealização: Cia. do Sopro

Produção: Quincas

Fotos: Cabelo Duro Produções


OSSADA , A LIVE - 18 de março, às 20h30

Os três pequenos monólogos de Maureen Lipman, atriz e autora inglesa ainda desconhecida aqui no Brasil, foram adaptados por Elzemann Neves, João Wady Cury e Ester Laccava, e trazem em comum mulheres "estendidas" em sua existência. Elas desafiam, delicadas na transparência do patético confessado. Para dar potência a esse humano indomesticável, Wislawa Szymborska, poeta polonesa e ganhadora do Nobel de literatura, e Laurie Anderson, artista multimídia, completam a performance da atriz e diretora Ester Laccava.


Ficha Técnica

Direção e atuação: Ester Laccava

Texto: Maureen Lipman

Adaptação: Elzemann Neves, João Wady Cury e Ester Laccava

Trilha sonora: Muep


O MEU LADO HOMEM - 19 de março, às 20h30

Musical baseado na obra obscena "Cartas de um Sedutor”, da premiada escritora Hilda Hilst. O espetáculo mostra Sápata Magáli, uma espécie de anti-heroína ridícula, como apresentadora de um cabaré. Acompanhada pelo violonista Luiz Gayotto e pela saxofonista Simone Julian, Sápata soma à prosa de Hilda um repertório musical variado e de forte apelo popular. Ela relembra fatos de sua vida, canta e permite à plateia um passeio pelo seu coração. Nas palavras do crítico Wellington Andrade, para a Revista Cult, “Sápata Magáli mostra-se como a pitonisa ideal ao deboche refinado de Hilda Hilst”.


Ficha Técnica

Texto: Hilda Hilst “Cartas de um Sedutor”

Concepção e Atuação: Luís Mármora

Direção Artística: Marcelo Romagnoli

Direção Musical: Luiz Gayotto

Adaptação e Roteiro: Luís Mármora, Luiz Gayotto e Marcelo Romagnoli

Músico: Luiz Gayotto (violão)

Iluminação: Marcelo Romagnoli

Figurino: Kabilan Aruanda

Cenário: Rafael Bicudo

Projeto Gráfico: Artefactos Bascos

Produção e Realização: Marmorhaus Produções Culturais


A ÚLTIMA DANÇA - dia 20 de março, às 20h30

Monólogo inspirado no diário de fábrica da escritora e filósofa francesa Simone Weil. Nascida em 1909 em Paris, filha de médico, aos vinte anos ela aluga um quartinho perto de uma fábrica, despede-se dos pais, amigos e das aulas de filosofia para trabalhar na linha de montagem com o objetivo de escrever sobre a condição operária e a opressão social. A partir dessa vivência, Simone deixa uma espécie de diário relatando o seu dia a dia: a fome, as labaredas, os ruídos ensurdecedores, os acidentes, as doenças, as ordens, o medo, o esgotamento, o envelhecimento, a infelicidade, o emburramento. Com dramaturgia de César Baptista, o espetáculo foi construído a partir dos relatos dessa mulher revolucionária, revivida no palco pela atriz Natalia Gonsales.


Ficha Técnica:

Concepção e Atuação: Natalia Gonsales

Dramaturgia: César Augusto

Provocadores: César Augusto/ Janaína Suaudeau e Fernanda Bueno

Direção de Movimento: Fernanda Bueno

Trilha Sonora: Daniel Maia

Iluminação: Igor Sane

Cenário: Flávio Tolezani

Figurino: Natalia Gonsales

Designer Gráfico: Murilo Taveira

Operador de Som: Vivi Barbosa

Operador de luz: Igor Sane


NINA E AS DESPEDIDAS (França) - dia 21 de março, às 20h30

Livremente inspirado no poema Ausência, de Carlos Drummond de Andrade, Nina e as Despedidas é uma ode à morte, ao fim e aos recomeços. Uma performance sem palavras, entre gestos e balões, que evoca com delicadeza aquilo que morre para dar lugar a novos horizontes.


Ficha Técnica

Dramaturgia, direção e interpretação: Janina Tupã / Cie Platform 88


CAFÉ DA GRAXA - dia 22 de março, às 18h

O Café da Graxa é uma série de conversas com técnicos, de maneira informal e sem censura. Uma pausa para o café durante o expediente, contando causos do backstage, piadas, experiências na área de atuação e o que vier à cabeça. Cecília Lüzs conduz um bate-papo descontraído regado a muito café, como os papos do camarim, café da esquina, boteco…


Apresentação: Cecília Luzs


MADAME E A FACA CEGA - dia 23 de março, às 20h30

Vera vai, como de costume, gravar seu programa de culinária. Mas desta vez Madame atormentará seus pensamentos.


Ficha Técnica

Direção e Dramaturgia: Tati Bueno

Elenco: Alexandra DaMatta;

Assistência de Direção: Bia Toledo

Preparação de Elenco: Inês Aranha

Trilha Original: Rogério Bastos

Desenho de luz e operação de iluminação: Samya Peruchi

Direção de Fotografia: Nara Ferriani

Cenário e Figurino: Nossa Companhia

Captação de Áudio e Operação de Som: Cecília Lüzs

Técnico de Streaming: Lucas Martinez

Direção de Produção: Clube do Mecenas

Produção Executiva: Camila Pontremoli e Bia Passet

Fotos: João Valério

Assessoria de Imprensa: Pombo Correio

Realização: Nossa Companhia

DICAS

#1 

Se inscreve no canal, pra não perder nenhuma novidade.